9 de abril de 2016

Sobre pessoas invisíveis.


Todos os dias tenho o prazer de levar e buscar meu filho na escola. Normalmente, quando estou voltando para casa, faço o mesmo itinerário. Algum tempo atrás, parado no semáforo, observei uma criança de no máximo 5 anos de idade, brincando no meio da terra no canteiro da rua. Lá estava ele, com um pedaço de pau, de vez em quando cavando um buraco, de vez em quando brincando de espada. Logo percebi que sua mãe estava por perto vendendo água para os motoristas que ali paravam. O semáforo abriu e eu fui embora com aquela imagem na minha cabeça. Passei ali mais uma dezena de vezes e em vários destes momentos, vi novamente aquela criança toda suja de terra brincando sozinha ao lado da pista. Confesso que essa criança me fez perceber algo que eu olhava mas não via, ou seja, a enorme quantidade de moradores de rua, que vivem a margem da sociedade como se fossem pessoas invisíveis. Confesso que num primeiro momento, a minha reação foi tentar racionalizar o problema e quem sabe ignorá-la, mas eu simplesmente não consegui! Poderia me dar por satisfeito, pois a igreja que pastoreio possui engajamento social, mas isso não me serviu e até hoje não me serve como desculpa. O fato é que existem muitas pessoas que vivem em condições sub-humanas e que nem ao menos são vistas e pensar nisso dói muito. Ver a imagem de Deus tão distorcida em outro ser-humano me causa uma profunda tristeza e o que é pior, um profundo sentimento de incapacidade. Continuo passando no mesmo local e vendo aquela criança e tantos outros que vivem como se não existissem para a sociedade e não tenho respostas práticas para isso. Só sei que me sinto incapaz e envergonhado por ver uma situação tão trágica e não ter condições de fazer nada. Me pergunto em momentos como esse: " O que a Igreja de Cristo está fazendo? Qual é a nossa resposta para os sofredores e necessitados deste mundo? Afinal de contas, o que podemos fazer por essas pessoas invisíveis?" Confesso que não sei, mas ando procurando respostas e que o Senhor me ajude a encontrá-las, em nome de Jesus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário