9 de dezembro de 2011

Então é Natal . . .

É, chegou o fim de ano, trazendo consigo o bom e velho Natal. Clima de alegria e festa no ar (menos para os perus e para os chesters, é claro!). Pisca- piscas iluminando as casas e as ruas. Pessoas nas ruas fazendo as suas compras natalinas. Pois é, chegou o Natal. Mas um sentimento toma conta do meu coração e eu preciso me expressar: definitivamente eu não gosto do Natal! É, é isso mesmo: EU NÃO GOSTO DO NATAL! E eu tenho os meus motivos para isso (não são traumas de infância, pode ter certeza), entre eles estão:

1.       As canções natalinas: nada, absolutamente nada, é mais irritante do que música de Natal. Elas entram no seu cérebro, causando uma sensação de desconforto que você não sabe explicar, mas que está ali presente. É mais ou menos como uma dor de dente. Incomoda demais!

2.       A cantora Simone cantando a sua tradicional música de Natal: nesta época do ano, é quase impossível entrar nas Lojas Americanas para comprar um chocolate ou um biscoito (porque são as únicas coisas que a maioria das pessoas compram lá) sem ouvir como fundo musical a Simone cantando “então é Natal, e o que você fez . . ." Meu Deus, me tira desse lugar!

3.       A pessoa do Papai Noel: cara, estamos em pleno verão brasileiro e este cidadão sentado num trono de casacão vermelho. Sem noção! Parece mais o Snoop Doug Dog.

4.       As comidas natalinas: algumas delas são muito boas, mas outras não tem nada haver. Devíamos substituir o peru, as nozes, as castanhas, as frutas cristalizadas, por uma boa feijoada ou então por um suculento churrasco. Isso ia ser legal.

5.       Televisão: nada é pior do que ligar a televisão e ver todas as programações falando de Natal. É mais ou menos assim: esporte (veja como foi o Natal do Neymar); filme (Um Natal muito Louco); noticiário (Xuxa visita um orfanato e faz uma doação de brinquedos de Natal para as criancinhas); seriado (o Natal da equipe de CSI); programa infantil (Mister Maker ensina a fazer uma árvore de Natal em 1 minuto). E por ai vai!

6.       O espírito de solidariedade: meu Deus, como isso é ridículo! Gente que ao longo dos onze meses do ano, não estão nem ai para absolutamente nada, em dezembro vira Madre Tereza de Calcutá. Eu não aguento!!!!

7.       A pessoa do Papai Noel (parte 2): mano, ele tem um tanto de duende que trabalha o ano inteiro prá ele sem receber nada. É tipo trabalho escravo, entendeu? Eu tô falando que esse cara é estranho.

8.       Presentes: a graça de dar um presente está na espontaneidade, ou seja, todo dia é um bom dia para se presentear alguém. Mas quando presentear se torna uma obrigação imposta pelo mercado de consumo, fica muito irritante. Dito isso, se quiserem, pode me dar presente de Natal. (rsrsrsrsrsrs)

9.       Festas de Natal: dizem que Natal é tempo de refletir. Mas me explica como o sujeito consegue fazer isso depois de ter entornado todas. Se a festa é em família então, sempre vai ter o tio ou o cunhado inconveniente falando mais do que deve e deixando todo mundo constrangido.

10.   A comemoração do Natal propriamente dita: dizem que a festa é para comemorar o suposto aniversário de Jesus (que aliás, dizem ter nascido em setembro), mas quem leva as glórias é o Papai Noel. É mais ou menos assim: fazem uma festa surpresa para você, mas quando você chega lá não pode entrar e quem é homenageado é o vizinho. Totalmente bizarro e sem sentido!


Ai estão meus motivos por não gostar desse dia. Por favor, não deixem de ser meus amigos por causa disso. Apesar de não compreender o espírito natalino, eu sou uma boa pessoa. Vou terminar este artigo com um trecho “inspirador” da música da Simone:

Harehama, Há quem ama.
Harehama, há . . .
Então é Natal e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra fez.
Hiroshima, Nagasaki, Mururoa . . .
É Natal, É Natal, É Natal.

3 comentários:

  1. Muito bom! Me identifiquei com o texto. Sobre seu blog, é uma delícia de se ler, assim como quando você fala espontaneamente num bate papo, e principalmente diante da igreja. Deu te deu o dom. Amo e sou fã. Bjos

    Di

    ResponderExcluir
  2. faço minha as palavras da amiga Di Lupion, concordo em gênero e grau!!!

    ResponderExcluir
  3. O trecho mencionado da música da Simone não tem absolutamente nada a ver com Natal. É o mantra dos Hare Krishna invocando os deuses hindus, ou seja, demônios.

    Essa música é uma versão da conhecida música do ex-Beatle John Lennon, reconhecidamente a favor das religiões orientais, em especial o movimento Hare Krishna.

    Outra música de ex-Beatle, nesse caso o George Harrison, "My Sweet Lord" (Meu doce senhor), é também bastante conhecida e tocada nessa época. Nessa música ele mistura expressões tipicamente cristãs (Aleluia) com o conhecido mantra dos Hare Krishna. Com isso fica difícil saber quem é o Senhor (Lord) mencionado na música: Jesus ou Krishna?

    Entendo que temos que cuidar muito das músicas que ouvimos. Mesmo sendo "Gospel", falando de Deus, Aleluia, etc. Com a invasão gospel no mercado fonográfico, tem muito joio no meio do trigo e temos que ficar atentos.

    Nunca gostei do Natal, por trauma de infância, sim. Traumas esses já tratados e lavados pelo sangue do Cordeiro.

    Não vejo nada de cristão nessa festa e nisso concordo totalmente com o Ton.

    Parabéns pelo blog e pelo compartilhar das suas opiniões na rede.

    Abração!

    ResponderExcluir